X

Roubo de cargas é destaque de evento paralelo ao 17° EMTRC e RIOMINASTRANSPOR 2016

No último dia de evento, o Grupo Técnico de Trabalho de Segurança Logística do Setcemg e a Assessoria de Segurança Patrimonial da Fetcemg reuniu mais de 70 pessoas, entre empresários do transporte de carga, lideranças regionais do transporte, técnicos de segurança, representantes das polícias Federal, Civil e Militar de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Pernambuco para uma reunião paralela ao 17° EMTRC e RIOMINASTRANSPOR 2016. O objetivo foi discutir ações e integrar informações sobre o atual cenário de roubo de cargas.

O evento começou com a palestra do Coronel Paulo Roberto de Souza, representante da NTC&Logística, que trouxe números do crime que ocorrem em todo o país. Souza destacou que os produtos mais visados pelo crime organizado são eletroeletrônicos e produtos farmacêuticos.

Souza trouxe também um comparativo do número de ocorrências de 2015 e 2016. “Em 2015 foram 7.225. Só no primeiro semestre deste ano já foram registrados 4.139 roubos, o que nos leva a crer que o número de 2016 será maior que no ano anterior”, disse. A mesma previsão foi feita pelo Coronel Moura, que destacou que, pela projeção, o número de roubos de cargas passará de oito mil.

Segundo o delegado de Roubo de Cargas do Rio de Janeiro, Marcelo Martins, o aumento do crime no Estado se deu devido ao tráfico de drogas, que agora também pratica o roubo de cargas.

Atualmente, a maioria dos roubos acontecem sob encomenda, ou seja, já tem um receptador esperando pela carga. É o que afirmou o delegado da Polícia Civil titular da 90ª Circunscrição de Caruaru (PE), Luiz Bernardo Moraes. “Os criminosos não se limitam a assaltantes que interceptam caminhões nas estradas, o roubo de cargas é mais complexo e engenhoso. Hoje, a maioria dos roubos já são cargas encomendas. O crime se tornou uma rede de negócios, implantando uma estrutura que envolve executivos e empresários em busca de mercadorias valiosas”, explicou.

O delegado disse ainda que uma das medidas que auxiliam no combate ao crime é a integração das polícias, da inteligência das polícias Federal, Civil e Militar.

Reforçando a ideia de integração como uma das medidas de combate ao roubo de cargas, o coronel Mário Natali, superintendente do Transcares, trouxe propostas do Espírito Santo para o setor. Uma delas é a criação de um protocolo de procedimentos comuns aos órgãos policiais, frente aos sinistros de furto e roubo de cargas, bem como a unificação dos registros de estatísticas desses sinistros.

Integração com as polícias

A integração é um dos pontos defendidos pelas polícias de Minas Gerais, com o objetivo de proporcional uma maior e mais rápida troca de informações das transportadoras e polícias.

Por meio do trabalho desenvolvido pelo GT – Segurança Logística e pela assessoria de segurança patrimonial da Fetcemg, foi criado pela 2ª RPM da Polícia Militar o Projeto Carga Segura, apresentado pelo Coronel da Polícia Militar e comandante da 2ª RPM, Roberto Lemos, durante a reunião.

“O Projeto Carga Segura busca a aproximação e mobilização comunitária por meio do fluxo constante de informações. É uma estratégia capaz de unir os esforços de toda uma comunidade específica, disseminando mensagens e privilegiando a transparência das ações policiais, as quais estão pautadas na análise constante dos pormenores sociais, tudo isso em uma parceria fundada entre a Polícia Militar e a Comunidade que atua no transporte de carga”, explicou.

Representantes da Polícia Rodoviária Federal apresentaram as principais rodovias em Belo Horizonte e Região Metropolitana em que acontecem o roubo de cargas. A BR 381 é a campeã no número de roubos, seguida da BR 040. “A Região Metropolitana de Belo Horizonte é responsável por menos de 5% do total da malha rodoviária federal de Minas Gerais. Mesmo assim é responsável por mais de 35% de todas as ocorrências de roubo à cargas ocorridas no Estado”, disse.

O delegado da 6ª Delegacia de Repressão às Organizações Criminosas/Cargas/Diccp, da Divisão de Operações Especiais (Deoesp) da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), Marcos Vinicius Lobo Leite, trouxe os dados de operações realizadas em 2016.

“No primeiro semestre de 2016, foram recuperadas 24 cargas diversas, totalizando aproximadamente dezesseis milhões de reais. Foram recuperados 42 veículos, entre carretas, cavalos mecânicos, caminhões, automóveis e motocicletas e 62 pessoas presas, incluído prisões em flagrante e mandados de prisão temporária e preventiva”, detalhou.

Durante o encontro, foram apresentadas as medidas que estão sendo tomadas para a prevenção e combate ao roubo de cargas.

O assessor jurídico do Transcares, Marcos Alexandre, destacou a Lei Estadual Nº 8.246/06, que prevê a cassação da eficácia da inscrição estadual para estabelecimento que adquirir, transportar, estocar, distribuir ou revender produtos oriundos de cargas roubadas, por exemplo.

Para o presidente do Setcemg e vice-presidente da Fetcemg, Sérgio Pedrosa, o evento foi uma grande oportunidade para os empresários mostrarem para as polícias quais são as problemas enfrentados pelo setor e, assim, combaterem juntos o roubo de cargas no país.

Deixe uma resposta

Mensagem
Seu Nome *
Seu E-mail *
Website

Fale Conosco

Use o formulário abaixo para nos mandar um e-mail

Mantenha o contato conosco

Você pode usar as seguintes informações para contactar-nos se você quer se juntar a nós ou qualquer coisa precisa para se comunicar .

Nome RIOMINASTRANSPOR
Telefone 31 3490-0330